A edição 2015 da BTO (Buy Tourism Online) que aconteceu nos dias 2 e 3 de dezembro foi a melhor de sempre. Aliás, felizmente, a cada ano a organização da BTO consegue se superar. O nível dos palestrantes era altíssimo, os assuntos interessantes, as oportunidades imensas. Não dá para não sair de lá sem novos contatos, novas idéias, quem sabe novos parceiros.

facebook-bto
Dorianne Richelle do Facebook no palco da #bto2015

A BTO é um evento para quem trabalha no mercado turístico: das empresas que atendem turistas (hotéis, guias de turismo, empresas de transfer) e entes públicos aos fornecedores dessas empresas e entes (agências de marketing e freelancers, empresas de comunicação e tecnologia que prestam serviços que vão da realização de sites e consultoria em social media até a análise dos dados, big data, e planejamento de novas estratégias para conquistar e manter mercado).

Tenho certeza que cada um sai da BTO com uma experiência diferente (e em geral positiva) porque existem eventos para os diversos gostos, expectativas e níveis de conhecimento que acontecem contemporaneamente. Às vezes é até difícil escolher o que deixar de fora.  Abaixo destaco o que mais gostei da BTO em 2015.

O melhor da (minha) BTO 2015

Facebook: da inspiração de novas viagens até o momento da reserva

O melhor evento em absoluto que assisti aconteceu no primeiro dia: “Every little thing she does is magic” com a responsável do setor de viagens do Facebook na Europa, Dorianne Richelle. Em primeiro lugar preciso dizer que é um prazer ver uma mulher no palco, representando uma das maiores empresas do mundo e, claro, arrasando na apresentação.

Dorianne
Dorianne Richelle responsável Facebook na Europa no palco principal da BTO 2015

Dorianne Richelle começou explicando coisas simples como por exemplo que comprar viagens é algo muito mais complexo do que comprar um livro ou vestido porque envolve uma série de detalhes. Só para a compra das passagens o usuário tem uma série de escolhas a fazer: passagem em primeira classe, em business class, em econômica… e assim sucessivamente em cada etapa, do hotel e deslocamentos até os passeios.

Richelle também falou da história do Facebook: do primeiro site “The Facebook” a uma mega empresa que hoje chegou a 1,49 bilhões de usuários no Facebook, 900 milhões no Whatsapp, 850 milhões em Groups, 700 milhões no Messenger, 400 milhões no Instagram.

Uma comunidade enorme interessada em viagens:  turismo é o principal setor dentro do facebook. O Facebook inspira, ajuda a reservar, é um instrumento de customer care. E não dá para menosprezar a importância dos smartphones na hora das reservas (os usuários geralmente começam pesquisando no celular ou tablet e depois vão para o desktop para reservar).

Dos 7,6 bilhões de euros investidos em marketing na Itália em 2014 apenas 0,3 bilhões foram investidos em publicidade para celulares

Apesar de números tão impressionantes,  o budget para publicidade online ainda é ínfimo em comparação com TV e outras mídias: em 2014 dos 7,6 bilhões de euros investidos em marketing na Itália apenas 0,3 bilhões foram investidos em publicidade para celulares. E olha, que a atenção dos usuários de smartphones é bem maior do que dos usuários da TV (o usuário de TV é “distraído” o dos smartphones são “ativos e com atenção ao que vêem).

Abro uma parênteses do ponto de vista blogger: é um prazer ver a Sra. Facebook incentivando o pessoal a anunciar na web, por mais que web e smartphone/facebook não sejam a mesma coisa. Me lembrei do Melvin Böcher que sempre repete que os blogueiros de viagem devem se unir e valorizar o próprio trabalho, inclusive ensinando o mercado como pode ser vantajoso investir na web (blogueiros) invés das mídias tradicionais.

Airbnb: uma nova forma de viver o turismo (e as cidades turísticas)

Matteo Stifanelli
Matteo Stifanelli, country manager de Airbnb no mainhall da BTO 2015

Além do Facebook, outras grandes empresas do momento tiveram seus representantes no palco como Airbnb: o country manager da empresa, Matteo Stifanelli, martelou o fato de que o Airbnb oferece acomodação em áreas onde antigamente não existiam hotéis, geralmente nos arredores das grandes cidades turísticas, e de como isso pode ser uma vantagem para descentralizar o turismo, especialmente em cidades super turísticas como Veneza e Florença já que o viajante pode viver os arredores da cidade, valorizando um território até então menos explorado e gerando riqueza.

Uber: investindo na segurança dos usuários

bto-uber

Também teve no palco da BTO a polêmica Uber: assisti ao bate papo de Tomaso Rodriguez (Operations & Logistics Manager da Uber) com o Sr. PhoCus Wright, Philip Wolf, onde falaram de tudo: da segurança dos usuários (Rodriguez fez questão de destacar que a Uber se preocupa muito com a segurança do serviço que oferecem) até o futuro da empresa. Wolf fez uma comparação com a Amazon, que um dia só vendia livros, para questionar se um dia a Uber poderá oferecer mais do que transporte de pessoas: “sim, se você consegue entregar um carro em 5 minutos, tem muitas outras coisas que você consegue fazer”.

Felicidade na BTO

Se a BTO é ótima porque dá a possibilidade de entrar em contato direto com super empresas como Facebook, Uber e Airbnb, também dá espaço para palestras inspiradoras.

Nesse quesito me sinto privilegiada por ter encontrado lugar na primeira fila de uma #hall1 lotadíssima para assistir Carlo Petrini, fundador do movimento Slow Food e eleito pelo Guardian em 2008 “uma das 50 pessoas que podem salvar o planeta”, entrevistado pelo jornalista do TG2 Marcello Masi.

Sala lotada para escutar Carlo Petrini
Sala lotada para escutar Carlo Petrini

Petrini falou muito da geração Master Chef que espetaculariza a gastronomia de uma forma prejudicial ao turismo (e à felicidade). Ele destacou o fato que os jovens de hoje querem se tornar chefs mas não tem a menor idéia de como funciona a cozinha de um restaurante. E, segundo ele, não dá para falar em gastronomia sem levar em conta a fileira completa: a agricultura, território onde são produzidos os alimentos, o contato com as tradições locais. É preciso valorizar os produtos locais, o artesanato, as pequenas comunidades. Ele chegou inclusive a falar sobre o Brasil e recomendar uma “feijoada em uma favela carioca” como experiência de viagem autêntica. 🙂

“Em uma sociedade feliz a economia deveria ser um meio e não um fim e é necessário partir das pequenas coisas porque na última viagem (morte) o dinheiro não serve” – explicou Petrini. E concluiu dizendo que o “turismo deve ser usado como instrumento de paz e compreensão”.

Um pouco de silêncio faz bem

Será que estamos exagerando com o storytelling? “Vamos para uma cidade e já sabemos tudo do lugar, sobra pouco espaço para a descoberta” – disse Gianluigi conhecido no Twitter como Insopportabile. E convidou: “não é necessário preencher todas as pausas”. Segundo ele, “às vezes é melhor ostentar menos, falar menos do que exagerar”.

Relax e encontros na BTO

A BTO pensa em tudo: inclusive nos momentos de pausa para recarregar as baterias (entenda como quiser). Uma ótima desculpa para bater papo com amigos, conhecidos e fazer novos encontros. Olha eu aproveitando um desses momentos…

Sono alla relax recharge area 😉 #bto2015 #firenze #recharge #Toscana Una foto pubblicata da Barbara Bueno (@brasilnaitalia) in data:

São tantos eventos legais que é difícil até escolher: ainda bem que depois no site oficial da BTO eles colocam um “rewind” com as apresentações e alguns vídeos. Este ano dediquei pouco tempo aos eventos de tipo “cassetta degli attrezzi” (eventos formativos) e com informações sobre territórios (só abri exceção para o Mugello na Toscana, com os ótimos Valentina Dainelli e Filippo Giustini).

Por exemplo gostaria de ter visto a apresentação sobre Corleone. Durante o meu grand tour de 3 meses na Sicília no último verão, eu estava fazendo um passeio até Ficuzza e na volta resolvemos visitar Corleone… mas chegando lá achei tudo meio sem graça e fui embora pensando: “putz, Corleone não tem nada! Que perda de tempo!”. Daí a minha curiosidade: certamente deve ter algo de muito interessante para virar palestra da BTO. Vou ficar de olho.

Vida longa à BTO!

Como sempre um obrigada a organização. A BTO continua top, um evento que vale a pena incluir na agenda: em 2016 tem mais!

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.